Misofonia: o que é isso?


A misofonia (miso=aversão, ódio) + (fonia=som), Síndrome de Sensibilidade Seletiva a Sons, Síndrome dos 4Ss ou simplesmente SSSS é uma reação forte a determinados sons específicos e insuportáveis, comparável ao que as pessoas sentem ante à microfonia. A pessoa se sente muita irritada ou com pânico de ouvir barulhos como o pingar de uma torneira, cliques constantes de uma caneta ou o som repetitivo de alguém balançando as pernas, por exemplo.

A síndrome dos 4Ss não deve, contudo, ser confundida com hiperacusia que é um aumento da acuidade auditiva, às vezes causando dor física. Apesar da condição ser conhecida há muito, ela só foi reconhecida como estado patológico a partir de 1990.

As causas da misofonia ainda são consideradas um mistério, mas sabe-se que ela é uma condição neurológica em que estímulos auditivos e, às vezes, visuais são confundidos dentro do sistema nervoso central.

Os sintomas da misofonia normalmente aparecem na infância tardia, mas podem também ocorrer em qualquer idade. Alguns indivíduos se incomodam com a presença de sons repetidos, mesmo que eles sejam baixos, como a mastigação, respiração, deglutição de saliva ou alimentos, tosse, pigarro, espirro, assoar nariz ou o clique de uma caneta, etc. Outros nem sequer conseguem conviver com esses sons e procuram fugir deles.

Além disso, esses sons provocam uma reação incontrolável de raiva e irritabilidade. Algumas pessoas evitam sair de casa pelo medo de se exporem aos sons desagradáveis, o que chega a constituir uma verdadeira fonofobia.

As pessoas que se incomodam com o volume dos sons, como a TV, música ou vozes altas, ruídos de eletrodomésticos e conseguem conviver com os sons que os incomodam, desde que o volume esteja baixo, estão sofrendo de hiperacusia, não de misofonia.

A avaliação médica das hipersensibilidades auditivas inclui, além de detalhada história médica, a medida do Limiar de Desconforto a Sons (Loudness Discomfort Levels – LDL, em inglês), exame complementar à audiometria. Na hiperacusia e na fonofobia, os resultados costumam ser alterados; na Misofonia, eles costumam ser normais.

Não há ainda cura ou tratamento para a misofonia.

Algumas pessoas tentam disfarçar os sons incômodos com música, enquanto outras simplesmente tentam evitá-los, distanciando-se das fontes deles.

Se a enfermidade for grave, pode trazer consequências sérias, o que significa dizer que ela pode impedir os pacientes de fazer novas amizades, engajar-se em atividades sociais ou até mesmo de sair de casa.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses